domingo, 10 de abril de 2011

O PORRE E A CAUSA




O PORRE E A CAUSA

Hoje me degusto em porções...
Bebo-me em taça de vinho,
Mas sou absinto em frações.

Degusto-me pelos olhos,
- Alucinógenos dos sentidos.
Sou um líquido sólido,
Minha bebida em petisco.

Corro o risco da morte,
Sou o porre e a causa...
Bebo-me de gole em gole,
Depois me quebro na taça.

Ivone Alves Sol

quarta-feira, 6 de abril de 2011

Música Solitária



Música Solitária

Meu pensamento é música solitária
A fazer barulho sem o que tocar
É como vinho em duas taças
E uma única boca a degustar

É som de violino à luz de vela
A sair pela janela e perder-se no ar
É como o olhar que sentinela
Por uma fresta, de onde está

Ah, meu pensamento canta só
Em Sol maior... Dó, Ré Mi...
Canta... canta... que dá dó
E ao redor, só eu em mim.

Ivone Alves Sol

segunda-feira, 4 de abril de 2011

UM CANTO DE SAUDADE

UM CANTO DE SAUDADE

O Sol mede o minuto que passou
O azul do céu está vazio de olhares
Os ares adormeceram o seu frescor
O tempo se afogou nas preliminares

Hoje a música é um canto de saudade
E no canto uma miragem distante
Tão ao alcance da minha vontade
Tão verdade, que é igual à de antes

Eu abraço a canção dançada chuva
Meu corpo faz curva dentro de mim
Não há fim, quando a vida inda pulsa
E o peito recusa a deixar-se ruir

Mas o Sol há de abrir o tempo
Sem a medida das horas
Há de ser eterno o momento
E vivido no agora

Ivone Alves Sol


video